terça-feira, 11 de setembro de 2007

Dias marcados


Tocou o sinal e algo estranho aconteceu: cadê o professor? Era o que todos perguntavam, até um pouco felizes. Há de se admitir que com 17 anos quase ninguém gosta de estudar (eu pelo menos não). Era aula de inglês e o professor era a pessoa mais figura que eu já tinha conhecido. Olha que conheço cada tipo...

Depois de algum tempo ele aparece correndo e desesperado anuncia: "Um avião se chocou contra as torres gêmeas. Eu ia embarcar amanhã, tenho que resolver algumas coisas. Vocês estão liberados". Todos gritaram (de felicidade, vale ressaltar) e saíram. Eu fui pra casa almoçar, sem ligar a mínima para o que tinha ocorrido. Pra falar a verdade, nem sabia o que eram as tais torres gêmeas. Logo depois fui saber da barbaridade ocorrida. Quem me explicou melhor foi o mesmo professor, que também me dava aula no curso de inglês.

Tá. Você deve estar perguntado porque postar isso hoje? Tão clichê! Está em todos os jornais e sites. Minha estória é tão simples. Existem pessoas que viveram dramas pessoais ou que viram de perto e podem contar com mais propiedade do que esse aluno desmiolado.

Mas para mim esse dia me remete à outras lembranças. O que me vem logo à cabeça é o professor, o João. Embora com proporções diferentes, os atentados e a vida do professor para mim exemplos da ignorância, crueldade e estupidez humana.

Uns anos depois, João também sofreria um atentado, agora um atentado contra sua própria vida. Queimado vivo dentro de um carro, ele foi vítima do preconceito e de pessoas que não tem respeito pelo próximo. Até hoje sua família espera justiça, coisa cada vez mais difícil em nosso país. Este ano o caso de outro João chocou o país. Era João Hélio, arrastado por quilômetros aguarrado no carro roubado por assaltante no Rio de Janeiro.

Quantos Joãos já entraram para a lista da violência, quantas torres já cairam no Brasil. Fico cada vez mais assustado. Assustado também com os movimentos que surgem. Depois do famoso e elitizado "Basta"´, é a hora da classe média alta carioca gritar em outro movimento: "Cansei'. O que me pergunto é: cansaram de quê? De ficar observando sem fazer nada? Ora, ora... eu é que estou cansado de vocês, isso sim.

Hoje outro atentado roubou as manchetes dos jornais. Desta vez contra os ministros que inauguravam um trem na zona portuária carioca. Até aí tudo bem, mas o que revolta é a rapidez das providêncas e a declaração do delegado no Globo on line: os criminosos não sabiam que as autoridades estavam a bordo. Se soubessem não teriam atirado. Cá entre nós, antigamente todos sonhavam em ser astronaustas, famoso, bombeiro, etc ... Pelo que vejo, meus filhos vão ter o sonho de se tornar políticos, só assim estarão protegidos. E bota protegidos nisso, é só olhar o caso do Renan Calheiros. Será que vai ser absolvido? Ele também deve estar cansado coitado. Vale a pena aguardar as cenas do próximo capítulo.

2 comentários:

Isabela disse...

Fiquei sem mto o q falar... resalto mais uma vez q tenho orgulho de ser sua priminha!
beijos.. te amo!

Branca de Neve disse...

é. eu não conhecia o joão, mas fiquei abalada pelo que aconteceu. Todo mundo no dia 11 de setembro parou para se lembrar do atentado às torres gêmeas, mas o engraçado é que um ano depois, num mesmo 11 de setembro, o rio foi completamente dominado pelos traficantes, o comércio foi todo fcehado, o medo tomou conta da população e bandidos foram assassinados nos presídios por quadrilhas rivais. tudo isso arquitetado pelo fernandinho beira mar. o que mais me espanta no Brasil é que a gente só pensa no que acontece lá fora e se esquece do que acontece aqui, com a gente. tá certo que o conflito lá no Iraque é complicado, que o caso da madeleine é importante, mas como vc mesmo disse há muitos "joãos" no país. É hora de olharmos para nós mesmos e nos ajudarmos.