segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Sem troco ...


- Próximo.

- Quatorze e noventa, senhor - agora me fita e depois olha fixamente minha carteira.

- Tem moedas?

- Vinte e cinco serve ... (até agora não entendi a matemática)

- No momento estamos sem troco. Posso lhe oferecer três balinhas?

Isso quer dizer, três, vírgula três, três, três, três, e lá se vão três décimos de centavos por cada bala. Calculista, eu? Não, claro que não. Muito menos pão-duro. É que ultimamente tenho me dado conta que o mundo anda sem troco. Esquisito, né?


Quando era criança achei uma carteira bem fuleira na rua, mas cheia de dinheiro. Procurei o dono e fui devolver. Esperava ganhar um troco com isso e sair com a cabeça tranqüila. Mas o trocado não veio. Talvez fosse o primeiro sinal de sua escassez.


Os policiais são mais espertos. Parecem ter percebido este desaparecimento muito antes de toda a população. Pelo menos, desde que me conheço por gente, sempre que sou parado numa blitz eles estão querendo um troco.


Eu também deveria ter descoberto isso antes. Quando , além da carteira, tive outra situação em que isso ficou claro. Um menino da oitava série bateu em mim. Queria dar o troco, mas primeiro veio o medo, depois a coragem e em seguida a frustação: não havia troco. Me fudi outra vez. Resultado: moral perdida e dois dias de suspensão.


Hoje assisti ao noticiário e mais um político anda envolvido em esquemas, como sempre roubando nosso dinheiro. Aí me pergunto: quando alguém vai dar o troco nesses otários? Parece difícil. A justiça anda se vendendo por miseros trocados.

Outro dia uma criança na rua veio com umas balas pra vender e pediu: "tio me dá um trocado?". Não resisiti. Mesmo sabendo que estão acabando com o troco, meti a mão no bolso da calça e passei alguns centavos. Nessa escassez, quem deve estar sofrendo mais é ele. E não queria que ele descobrisse esse triste mistério e pensasse num futuro no qual não existe troco. Que infância sem fantasia seria essa? Por isso comprei.


E o que me resta? Balinhas coloridas, amassadas, sem graça, nem gosto - pelo menos são assim as que eu costumo engolir.

5 comentários:

Sueños Incontestables disse...

muito bom amigo!
vc tah ficando bom nisso.hehehe

Roscele Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roscele Melo disse...

acho que inclusive tiraram o significado da palavra "troco" do dicionário.
Os que nascem agora já nem sabe mais oque é essa palavra extinta...

adorei o blog.
finalmentee!

Helga! disse...

eiii!

adoreeeii!!

agora é só manter atualizado! auhauahuahauh!

bjo Netoo!

Renata Palmira disse...

parabéns!!!! adorei o texto.

vou estar sempre aqui.

bjs