domingo, 19 de agosto de 2007

Pessoas e Pessoa


"Nada me prende a nada.
Quero cinqüenta coisas ao mesmo tempo.
Anseio com uma anguústia de fome de carne
O que não sei que seja -
Definidamente pelo indefinido...
Durmo irrequieto, e vivo num sonhar irrequieto
De quem dorme irrequieto, metade a sonhar."

Fernando Pessoa

"Se me recordo quem fui, outrem me vejo,
E o passado é o presente na lembrança.
Quem fui é alguém que amo
Porém somente em sonho.
E a saudade que me aflige a mente
Não é de mim nem do passado visto,
Senão de quem habito
Por trás dos olhos cegos.
Nada, senão o instante, me conhece.
Minha mesma lembrança é nada, e sinto
Que quem sou e quem fui
São sonhos diferentes."

Dois do Pessoa porque fiquei na dúvida entre qual escolher.
Um é pra refeltir durante o domingo de preguiça
e outro é uma homenagem a magrela protuguesa que adora esse homem. Com toda razão!
* Imagem: Dali

4 comentários:

Isabela disse...

É o orgulho da família né?! Se não é da família pelo menos da prima é!

Fernanda Caetano disse...

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

Renata Palmira disse...

tudo, nada, algum, alguém. indefinições que fazem parte de nossas vidas. querer 50 coisas ao mesmo tempo é normal em qualquer ser humano, mas já é uma dádiva ter apenas uma. queremos tudo (indefinido), às vezes, dizemos que não temos nada (indefinido), mas sempre há alguma coisa (indefinido) para a gente. tudo na nossa vida é indefinido. a única coisa que a gente pode dizer que já aconteceu foi o ontem. o que ainda está por vir é a indefinição que nos leva a viver.

não sei se esse pequeno texto que eu escrevi acima tem algum nexo, mas nada na vida tem.

vou estar sempre por aqui. e parabéns mais uma vez pelo blog.

bjs

karla disse...

Sem troco, que nada. Kbção, esta é igual a Mastercard: não tem preço!
Parabéns pelo espaço!